Eterno

Eterno

Single
Featuring: Prodígio, Dji Tafinha & Sidjay
19 Maio, 2024 Instrumental: Dji Tafinha 4:43 1 videoclip

Videoclip de Eterno

Letra de Eterno

Eu vou viver

Mesmo depois do meu ultimo suspirar

E quem me viu viver, há-de contar

(Verso 1: Phedilson)

Eu só tenho uma oportunidade

De inspirar uma comunidade

Sem conforto, sem comodidade

A vida já ensinou como lidar

Mas os meus avós tiveram de bazar

Depois paguei com o preço da amizade

Cortaram-me as asas Mas fuck it, eu já matei a gravidade

Eu tive de matar a sanidade, boy

Estar louco é melhor que mendigar

Eles querem ver os heróis vulgarizados

Mas o nosso reino tá profetizado

Tou a tentar vocabularizar

Esse teu esforço ao tentar me segurar:

É tipo estares com uma esfregona na beira da praia tentar secar o mar (Nunca)

E eu sempre crescente Rei neste templo

Esse é o tempo A glória é (uma) árvore

Eu era só semente

Hoje sou a planta que está a quebrar o vaso

Agora queres pedaços desse cake

Não estiveste perto Não deste mérito

Eras raro Mas hoje tens tempo?

Boy, foste pontual no atraso Eles dizem que estamos gigantes

O Gelson disse que estamos distantes

Eu tou a viver várias vidas em simultâneo e todas cobram bem mais do que antes

E e os meus a caçarmos Diamantes

Tou com o C4, Pro, Dji e Kutz

Os meus avós diziam: "Não fala política", eu sou Neto de Santos

E eu vi o efeito do interesse desses fakes

Perdi weys que o sucesso fez snakes

Não enterrei o meu afecto por esses negros Mesmo sendo wacks, cem por cento wacks

Sou o PA que o Albieri fez com o Mac

Fiz-me rapper no beco desses dreads

Mas notei que o (Bairro) Académico é pequeno

Mesmo sendo o berço, eu quero ser eterno

Coro (Sidjay):

Eu vou viver

Mesmo depois do meu ultimo suspirar

E quem me viu viver, há-de contar

Que ele eterno (3x)

(Verso 2: Prodígio)

Yoo Phedilson bem-vindo a primeira liga

Tu és gigante e não esperes que um hater diga

Luta pelo teu, da tua maneira siga

Eles dizem que eu sou puto, mas tenho a carreira antiga

Todos me conhecem mas fingem que há demência

Eu vivo de aparições, eles vives de aparências

O inferno é o meu caderno.

Na prática, eu sou eterno o inverno da Antártida, sem sátira.

Cada vez que entro na track, rappers ficam preocupados

Antes de me veres parado, vês o Cristo Rei de braços cruzados

Mother fucker eu sou Messias, milagre da nossa prosa

O que é o ventre da Maria, pra as trompas da Dona Rosa?

Os rappers de intervenção batem mal com o meu Q.I

Eu devia ter um mic na minha foto do B.I

Minha vida é um show, sou um o homem do palco

rappers fogem, eu sou o homem do saco Saco

preto, papo reto, mato pretos, não sou homem de papos

Tou sentado no banco, tou com o homem de fato

Eu era old school antes de andares na escola

replicado antes do var na bola

Tu vais levar na tola

Beats de trap por minha causa

A Rasta do teu rapper foi inspirada na minha pausa

Vou ser eterno enquanto for vivido

A vida é uma bitch eu remei e ela esguichou comigo

(Refrão)

(Verso 3: Dji Tafinha)

Sem, lubrificante causo danos.

Em milésimos segundos, minutos, horas, dias, meses, só para abrir os vossos anos.

Bem, humorado sou o Gandhi, um amor na tua vida

Mal disposto sou o Hitler ponho vapor na etnia.

Bisneiro reclama, mas o meu negócio não defrauda.

Sou eterno como o dragão que morde a própria cauda.

Tu Dizes ser Cristão, com o aspecto do capeta.

Com a caneta sou eterno como os cornos que a tua dama te espeta.

Vidente, vejo o teu futuro na velha.

Bem quente, ponho o teu kuduro na grelha.

carregador na minha calash mato todos tipo PU PU

Podem até tapar os ouvidos mas eu vou direto mesmo PÓ CÚ.

Nigga eu sou eterno

No Paraíso inferno

Falso ou verdadeiro

A mim não há meio termo

Muito lero lero

Comigo é dez a zero

Bicho papão tá na porta cu cu

Mortal é o meu físico

Mas o lírico é imortal como a eternidade no espírito.

(Refrão)

Segunda-feira - 24 Junho, 2024